Fernando Pessoa

Sorriso audível das folhas
Não és mais que a brisa ali

Se eu te olho e tu me olhas,
Quem primeiro é que sorri?
O primeiro a sorrir ri.


Ri e olha de repente
Para fins de não olhar
Para onde nas folhas sente
O som do vento a passar
Tudo é vento e disfarçar.


Mas o olhar, de estar olhando
Onde não olha, voltou
E estamos os dois falando
O que se não conversou
Isto acaba ou começou?


Fernando Pessoa, 27-11-1930

10 comentários:

Fatima disse...

Fernando Pessoa é tudo de bom!
Segunda-feira assisti um curta sobre a vida do poeta feito aqui no Brasil. Emocionante!
Bjs.

ju rigoni disse...

"Mas o olhar, de estar olhando
Onde não olha, voltou
E estamos os dois falando
O que se não conversou"

Ele é mesmo o máximo.

Bjs,Andrea, e inté!

Andrea Galvez disse...

Oi Flor...

Realmente, Pessoa tem palavras que eternizam o momento...não vi ainda este curta vou procurar pra assitir tbm...bjos!

Andrea Galvez disse...

Oi Ju!

Máximo ele, máxima você... :)

Bjo querida..inté!:)

Ana Cristina Cattete Quevedo disse...

Meu poeta preferido (tá, um deles =) ).

Nunca li nada dele que não achasse perfeito!
Ele tem aquela magia que nos envolve...inebriante!

Beijo!

Elcio Tuiribepi disse...

Oi Andrea, dificil não admirar este tal de Fernando que nem parece Pessoa, não me canso de dizer isso, ele é relamente porreta com seus poemas tão bem elaborados...
As suas imagens sempre arrebentando também...
Sorrie é bom demais, por isso cuido do meu sorriso super valente, sem ele eu nada seria, sem meu humor...putz...acho que já estaria num sanatório...rsrs
To indo e sorrindo para alegrar a minha noite, meu anjo da guarda tem andado colado comigo, aí sorrio até de fratura exposta...
Um abraço na alma...bjo...

Elaine Barnes disse...

É de uma sensibilidade e inteligência incomum. Admirável. Amei. E por aqui vou conhecendo mais e aprendendo com grandes poetas através de você. Obrigada! bjão

Panacea disse...

Grande Fernando Pessoa! Começastes o ano com tudo Andrea! Grande abraço

Gilson disse...

Fernando, grande Fernando que nos ensina tanto e nos faz feliz como você que nos enche de alegria com seus posts. Já estava saudoso.

Abs

ju rigoni disse...

Menos, Andrea! Infinitamente... menos.

Farei uma outra leitura, - uma que não me deixe tão constrangida: "Máximas são pequenos sermões." (Frank Burgess)

Bjs, obrigada pelo seu carinho. Inté!