Se...

Se eu pudesse,
voltaria a ser criança, -
retornaria àquela liberdade,
àquela inocência e espontaneidade,
que me permitiam dizer
tudo que me vinha à vontade...



Ah, se eu pudesse libertar-me
da prisão de certas metáforas
reticentes,...

sair finalmente da posição de sentido,
e descansar...
desse silêncio que grita comigo.

Ah, se eu pudesse
expressar tudo que sinto!...

Se eu pudesse viver no mundo
que, ainda menina, me prometi...

Que bom! Seria menina, de novo!!
Resgataria minha ternura,

minha delicadeza,
aquele universo bonito
feito de tantas certezas...

Que saudade!...
Só em pensar
ganho asas,...

Novamente, ouso voar...
como antigamente.

Pouso nas nuvens macias
da imaginação,...
e quase esqueço
a razão da viagem...

O pensamento livre, transparente,
que fluía desta criança;
a poesia,
agora desaparecida,
que, naqueles dias,
em mim,
era semente...

ju rigoni (Anos 70)


........................................................
Ah Ju, eu quem diga...se eu pudesse, voltaria sem pensar à ser criança...
Se tivêssemos este poder de escolha...
Embora eu tenha meu lado moleca muitas vezes aflorado, seria tão bom poder reviver este espaço do tempo que muitas vezes pequenos detalhes passaram despercebidos.
O melhor, é que ficaram lembranças tão boas, que chegam doer de saudades.
Mas...tivemos nosso tempo...feliz de quem soube realmente aproveita-lo...:)
Lindo demais...tão lindo que plantei a sementinha dele aqui no Blog...:).
Sei que algumas pessoas aqui conhecessem o recanto da Jú, mas pra quem ainda não teve este prazer, dá uma voltinha por lá , vão encontrar outros poemas lindos...:)

http://jurigoni.blogspot.com/

Bjo*

12 comentários:

Wanderley Elian Lima disse...

Olá Ju
Infelizmente o tempo não volta, então temos que aproveitar das prerrogativas que a maturidade nos trás e curtir, a vida pois em cada etapa existem coisas belas.
Beijos

Blog do Mensageiro disse...

Assim como devemos deixar esse lado moleque aflorar sempre, para que a vida seja um mar de risos e os tempos de criança não sejam uma saudade, mas façam parte de nosso eterno presente. Como dizia Hesse,"não há porque fazer a esse cômico mundo a honra de levá-lo a sério." Bjo!

ju rigoni disse...

Ah, Andrea...

Mais uma vez, obrigada por publicar em seu espaço os meus tortos e antigos versos.

Você é uma sapequinha, muito linda, que vive a me fazer carinhos. Parece a Zora, minha netinha.

Bjs, querida, e inté!

Elcio Tuiribepi disse...

Oi Andrea, sabe que eu tenho uma receita para que a gente volte a ser criança...rsr
lendo o texto lembrei-me dela na hora...
Você está certa em manter aflorado este lado criança...tento fazer isso também...umdos passos mais importantes é sorrir, sorrir principalmente da gente mesmo e pra gente mesmo...rs
Depois com calma vou lá conhecer o cantinho da sua amiga
Um ótimo fim de semana
Um abraço na alma...bjo

Sylvio de Alencar. disse...

Não creio ser difícil estar criança, eu, num esqueci.

Irei lá conhecer o cantinho de sua amiga.

Bjs minha querida.

Kimbanda disse...

Olá Andreia,
Felicito a Ju que embora diga serem tortos e antigos versos, eu achei maravilhosos. E a ti cara amiga por tê-los postado e eu ter tido a possibilidade de me deliciar.
Eu costumo dizer por brincadeira aos meus amigos, que se me perguntassem o que é que eu quero ser quando for grande, responderia que quero voltar a ser criança.
Um óptimo fim de semana e envio o meu kandando amigo.

Andrea Galvez disse...

Oi Wanderley...

Concordo, mas com certeza não pensaria 2 x se tivesse esta opção para retornar...:)


Bjo!:)

Andrea Galvez disse...

Oi Andre

Acredito que o que move a vida é isso...estabelecer contato com a criança interior sempre!Existem coisas do dia à dia que só vivenciando este lado para deixar-se esquecer.

Bjo!

Andrea Galvez disse...

Oi Ju

Adorei este teu poema, como muitos outros, então eu fui lá de fininho, olhei pro lado, olhei pro outro vi que ninguém tava olhando e peguei ele pra mim! tanto que plantei aqui no blog esta sementinha tão boa de se ler...
É um carinho em agradecimento por dividir conosco tantas coisas lindas.

Bjo querida!

Inté...:)

Andrea Galvez disse...

Oi Élcio

é preciso as vezes esquecer que crescemos demais e deixar que pequeninos passos nos movam né?:)

Bjo!:)

Andrea Galvez disse...

Sylvio

Tenho certeza que não esqueceu...já deu provas disso...:)

Bjo querido!:)

Andrea Galvez disse...

Oi Kimbanda querido

Eu acredito que todos de nós gostáriamos disso, quando digo voltar no tempo, é que penso não só no lado de estar vivendo dia à dia sem muitas preocupações, movimentos cheios de energia, cheia de vivacidade.Penso que poderia resgatar neste espaço de tempo pessoas que me foram tão queridas, tão importantes.Seria a melhor idade para se reviver tudo isso...mas, como é impossível, fica como disse acima...as lembranças que movem este tempo de saudades...que chegam doer, mas que fizeram toda esta vida valer a pena.


Bjo meu!:)