Natureza Íntima

Cansada de observar-se na corrente
Que os acontecimentos refletia,
Reconcentrando-se em si mesma, um dia,
A Natureza olhou-se interiormente!
Baldada introspecção! Noumenalmente
O que Ela, em realidade, ainda sentia
Era a mesma imortal monotonia
De sua face externa indiferente!

E a Natureza disse com desgosto:
"Terei somente, porventura, rosto?!
"Serei apenas mera crusta espessa?!

"Pois é possível que Eu, causa do Mundo,
"Quando mais em mim mesma me aprofundo
"Menos interiormente me conheça?!"

Augusto dos Anjos

11 comentários:

Fatima disse...

Seu Augusto dos Anjos!
Quando comecei a declamar suas poesias as pessoas pararam de me convidar paras saraus, primeiro pq eu nunca deixei ninguém mudar o que eu queria e segundo pq eles não achavam que o autor não escrevia poesias para moças e eu estou falando dos anos 80 heim!!!!
Bjs.

Thaisa disse...

Oi Andrea...lindo o poema, mas as suas imagens...fala sério...adorei esta...Aparece no Espaço Aberto...sua aus~encia se faz presente...
Conto com sua participação dia 30 ok...
Beijo

Wanderley Elian Lima disse...

Olá Andre
Altamente filosófico esse poema de Augusto dos Anjos. Somos assim também, quanto mais nos aprofundamos em nós mesmos, menos nos conhecemos.
Beijos

Elcio Tuiribepi disse...

Thaisa é minha filha...estava logado no e-mail dela...rsrs...desculpa...
Seu Haikai está participando...valeuuu
Um abraço na alma...bjo...bom domingo

Elaine Barnes disse...

Olá Andrea, voltei! Menina que imagem linda você colocou heim?!
Augusto dos Anjos vi em literatura na escola,mas, acho que estou confusa, não era um poeta que falava de morte e coisas mórbidas?
Esse poema é lindo a mim pareceu alguém que está na máscara e está em conflito ao sentir necessidade de conhecer a si mesmo. Ah amiga,não sei interpretar o que vai dentro do poeta,mas, senti isso. rs... Montão de bjs e abraços

Gilson disse...

Augusto dos anjos é fantástico....
Concordo com seu comentério, com respeito conseguimos tudo.

Abs e boa semana

Blog do Mensageiro disse...

Oi, Andrea, passei para agradecer pelo carinho e pelo apoio, já estou retomando a rotina normalmente. O que foi que te deixou de molho?
Bjos e uma otima semana!

José Sousa disse...

Gostei muito do que escreves. Meu Deus, tanto sentimento?! E eu que pensava que estava sozinho no mundo na questão de sentimentos. O sentimento é coisa que faz sentir sofrimento e felicidade. Mas, infelismente, o meu, tem-me levado mais para o lado do sofrimento! Queria encontrar o caminho da felicidade mas não o encontro! Já fiz de tudo e em vão. Va até meus blog's: www.congulolundo.blogspot.com
www.quriaserselvagem.blogspot.com
Um abração

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

nooosssaaa...parece a gente correndo atrás do rabo.... bom né, parece que é normal essa desadequação com a vida.

querida, vc é uma peste mesmo. Só vc sacou que tinha algo no ar.

boneca, fique bem, e lembre-se, é tudo besteira, nada vale a pena....só a vida o estar vivo, a possibilidade de mudar tudo....só a vida....

Livinha disse...

Augusto dos Anjos, poemas tão profundos, de alma que fala transparente.
Quanto mais mergulhamos fundo, parece que muito ainda temos que mergulhar, interiorando-se alma dentro, para nos conhecer melhor...
O mais interessante é que no geral encontramos nossa capa, no rosto interior do outro, quando os apontamos, estamos apontando a nós mesmos..
Linda escolha Andrea.
Bjs mocinha

Lindo dia pra ti
Livinha

Andrea Galvez disse...

Amigos queridos!

Na verdade, pra mim este é um dos poemas mais lindos de Augusto, e como Elaine disse, ele era assim, um poeta espiritualista, mas com tendência à coisas mais obscuras.Este tem uma leveza, como quem procura na verdade o encontro de si mesmo, em buscas finitas.Na linguagem da Natureza, ele retrata o interior que cada um de nós muitas vezes camuflamos em nossas vidas.

Poucos são os que gosto...e este fico feliz que tenham gostado, porque realmente como Fátima disse, na época de Augusto, seus poemas não eram bem vistos aos olhos de muitos críticos da época.

Beijão pra todos...sempre bom ler vcs aqui!*