Pequena Abelha - Chris Cleave



Peço-lhe neste instante que faça o favor de concordar comigo que uma cicatriz nunca é feia. Isto é o que aqueles que produzem as cicatrizes querem que pensemos. Mas você e eu temos de fazer um acordo e desafiá-los. Temos de ver todas as cicatrizes como algo belo. Combinado? Este vai ser nosso segredo. Porque, acredite em mim, uma cicatriz não se forma num morto.
Uma cicatriz, significa: “Eu sobrevivi”.


Chris Cleave / Pequena Abelha

______________

"A escrita é magnífica. Difícil achar um autor contemporâneo que seja tão bom em narrar sentimentos tão trágicos de forma tão bela. O único porém é que ele é longo: capítulos e parágrafos compridos demais que atrapalham o ritmo da leitura.
Não espere um livro simples e rápido de ser lido: ele é para ser deliciado palavra por palavra. Feche-o quando não aguentar mais. Leia durante um tempo e depois guarde-o na prateleira, abra algo leve e depois volte para ele. Não sinta-se intimidado a terminá-lo logo, pois essa lentidão em sua leitura, essa apreciação dos fatos, é o que torna ainda mais cativante e reflexivo.

Pequena Abelha é um livro sobre escolhas brutais que mudam o curso da vida. É sobre realidades que se chocam e pessoas que não se parecem. Acima de tudo, é um livro onde as diferenças sociais, étnicas e culturais mostram suas garras, trazendo, através de duas personagens distintas, pontos de vistas diferentes sobre uma mesma cultura e uma mesma história. O psicológico dos personagens é explorado. Um novo olhar sobre o que consideramos banal é trazido por uma das personagens.

Existe algo indescritível em Pequena Abelha. Algo que só pode ser compreendido quando ele é aberto e apreciado, palavra por palavra. Com certeza, um dos melhores livros que li no ano. Mas não acho que seja um livro que todos vão apreciar. Mas, se você quer se arriscar, vá preparado para uma história com tons trágicos, dolorosa. Mas não se esqueça que essas páginas guardam uma preciosidade, prestes a ser revelada para aqueles que se aventurarem por suas páginas.
Em duas palavras? Dolorosamente fantástico."


:)


3 comentários:

Blog do Mensageiro disse...

Andrea!! Seu blog se foi, voltou, me perdi, sei lá...rsrs. tambem estive afastado por conta da finalização do meu livro, que agora esta pronto. E é por isso que estou por aqui, para convidá-la para o lançamento deste ‘O Último Mensageiro’na próxima quinta feira, 16/12, a partir das 18hs30 na Livraria da Vila (Fradique Coutinho, 915 – Pinheiros, São Paulo/SP) Apareça por lá, adoraria te conhecer pessoalmente! Bjos!!

PS: o livro também estará disponível no blog do mensageiro a partir do dia 16

Livinha disse...

Andrea amiga querida,
Tanto tempo já nos conhecemos, tão pouco estivemos, mas não me seria possível deiaxar de aqui passar...
Agradecendo as vezes que estiveste comigo, agraciando o teu carinho na tua forma de ser.
Ofertando as tuas palavras no jeitinho proprio de você.
O Natal esta aí, despontando quão primavera, a florir nosso glorioso planeta terra, ensejando felicidade a todos os corações desse mundo em sua essência mais pura e bela, pela luz que brilha a presença de nosso mestre e irmão maior, Jesus.
Estarei logo em breve ofertando minha penúltima postagem deste ano, NATAL e logo mais deixando automaticamente a postagem de fim de ano que cairá dia 28 deste corrente e abençoado mês...
Me darei férias. Uma viagem em busca de energia, agasalhada do pensar...
Desejando cá de antemão, o meu mais afetuoso abraço, no desejo de que desfrutes de BOAS FESTAS junto aos teus familiares e amigos, teus afetos queridos, que estão sempre a te acompanhar.
Ensejando ainda que onde puderes dar a oportunidade de abraçar aqueles outros que pairam na solidão, esquecidos, ofertando-lhes uma palavra amiga ao curso de fraternidade e solidariedade como irmãos todos que somos, que assim seja feita a tua vontade...

Paz em teu lar. Luz a iluminar o teu caminho e o meu abraço apertado e assim dizer: Muito obrigada pelo teu carinho...

Beijos

Livinha

Maria Dias disse...

Oi Andreia...Obrigada pela dica quem sabe e eu o encontre nas livrarias ele vira um presente.

Beijos

Maria