As coisas que Amo



Eu não sei dizer te amo!

Porque as coisas que amo,
parecem não caber no amor.

Amo o aconchego das casas
E a maneira como os pés
se procuram debaixo das cobertas.

Amo a ciranda dos dedos sobre a pele
E o aroma dos poemas do Jorge de Lima.

Amo o som de água
O cheiro de chuva
O motivo do riso, não a risada.

Amo a beleza que põe mesa
A beleza do erro
do engano
e da imperfeição.

Amo o desejo de amar
O tédio de não querer nada
O desejo de tudo querer
Amo o cheiro dos ouvidos.

O jeito de falar
A maneira como se olha
Eu não sei dizer te amo!
Porque as coisas que amo,
parecem não caber no amor.

Eu sei sentir te amo...

Monica Montone

4 comentários:

Eduardo Miguel Pardo disse...

Amar amar amar amar! Ah isso sim que é fundamental, tudo quanto for possível!!!
Minha admiração e carinho beijos na dona Rafa também rs rs rs, só para não perder o jeito, sabe como é... beijo grande á vocês.

tossan disse...

Vou te comentar assim hoje:

Meu corpo a mergulhar
ao lado templante
irá submergir
do amor subjulgado
só assim eu serei visto
pela tua imponência...

apenas poesia de tossan para elogiar a tua postagem.
Beijo

EDER RIBEIRO disse...

a essência esta aí, saber amar. Bjos.

paulo disse...

bonito o texto.. mas amar nao se aprende ne ?