Belo Belo - Manuel Bandeira

Belo belo belo,
Tenho tudo quanto quero.

Tenho o fogo de constelações extintas há milénios.
E o risco brevíssimo - que foi? passou! - de tantas estrelas cadentes.

A aurora apaga-se,
E eu guardo as mais puras lágrimas da aurora.

O dia vem, e dia a dentro
Continuo a possuir o segredo grande da noite.

Belo belo belo,
Tenho tudo quanto quero.

Não quero o êxtase nem os tormentos.
Não quero o que a terra só dá com trabalho.

As dádivas dos anjos são inaproveitáveis:
Os anjos não compreendem os homens.

Não quero amar,
Não quero ser amado.
Não quero combater,
Não quero ser soldado.

-Quero a delícia de poder sentir as coisas mais simples.

Manuel Bandeira

6 comentários:

Fatima disse...

Belo belo belo,
Tenho tudo quanto quero.
Não é assim uma verdade pra mim não, mas tá tudo bem.
Bjs.

Olhos Verdes disse...

Lindo demais Andrea!!!
Adoro voar por aqui...
Bjs

Andrea disse...

Oi Flor...

Não é pra todos né? nunca estamos totalmente satisfeitos com que temos, seja material, espiritual, pessoal, etc

Mas o importante é isso...
Estar tudo bem...

Bjo!:)

Andrea disse...

Oi Pri...

Que bom fico feliz que goste, é recíproco!!

Bjos pra familia...:)

ju rigoni disse...

"Quero a delícia de poder sentir as coisas mais simples."

Bandeira é mesmo tudo de bom, Andrea.

Bjs e inté!

Andrea disse...

Oi Ju

É lindo demais...
Como você mesma disse, tudo de bom..:)

Bjo, feliz pela tua visita..:)

Bjo