Compras de Natal




A cidade deseja ser diferente, escapar às suas fatalidades. Enche-se de brilhos e cores; sinos que não tocam, balões que não sobem, anjos e santos que não se movem, estrelas que jamais estiveram no céu.


As lojas querem ser diferentes, fugir à realidade do ano inteiro: enfeitam-se com fitas e flores, neve de algodão de vidro, fios de ouro e prata, cetins, luzes, todas as coisas que possam representar beleza e excelência.
Tudo isso para celebrar um Meninozinho envolto em pobres panos, deitado numas palhas, há cerca de dois mil anos, num abrigo de animais, em Belém.

Todos vamos comprar presentes para os amigos e parentes, grandes e pequenos, e gastaremos, nessa dedicação sublime, até o último centavo, o que hoje em dia quer dizer a última nota de cem cruzeiros, pois, na loucura do regozijo unânime, nem um prendedor de roupa na corda pode custar menos do que isso.
Grandes e pequenos, parentes e amigos são todos de gosto bizarro e extremamente suscetíveis. Também eles conhecem todas as lojas e seus preços — e, nestes dias, a arte de comprar se reveste de exigências particularmente difíceis. Não poderemos adquirir a primeira coisa que se ofereça à nossa vista: seria uma vulgaridade. Teremos de descobrir o imprevisto, o incognoscível, o transcendente.

Não devemos também oferecer nada de essencialmente necessário ou útil, pois a graça destes presentes parece consistir na sua desnecessidade e inutilidade. Ninguém oferecerá, por exemplo, um quilo (ou mesmo um saco) de arroz ou feijão para a insidiosa fome que se alastra por estes nossos campos de batalha; ninguém ousará comprar uma boa caixa de sabonetes desodorantes para o suor da testa com que — especialmente neste verão — teremos de conquistar o pão de cada dia. Não: presente é presente, isto é, um objeto extremamente raro e caro, que não sirva a bem dizer para coisa alguma.
Por isso é que os lojistas, num louvável esforço de imaginação, organizam suas sugestões para os compradores, valendo-se de recursos que são a própria imagem da ilusão. Numa grande caixa de plástico transparente (que não serve para nada), repleta de fitas de papel celofane (que para nada servem), coloca-se um sabonete em forma de flor (que nem se possa guardar como flor nem usar como sabonete), e cobra-se pelo adorável conjunto o preço de uma cesta de rosas. Todos ficamos extremamente felizes!

São as cestinhas forradas de seda, as caixas transparentes os estojos, os papéis de embrulho com desenhos inesperados, os barbantes, atilhos, fitas, o que na verdade oferecemos aos parentes e amigos. Pagamos por essa graça delicada da ilusão. E logo tudo se esvai, por entre sorrisos e alegrias. Durável — apenas o Meninozinho nas suas palhas, a olhar para este mundo.

"Cecília Meireles"

.................................................................
Deixo aqui este texto de Cecília, desejando à todos os amigos e amigas  e todos os seus, um  Grande, Imenso e Maravilhoso Natal.
Que seja repleto de muita Luz, Amor, Harmonia, União e Paz.
E o mais importante, muita Saúde, para que possam desfrutar mais e mais alegrias que ainda estão por vir.
Um beijo em cada um.


Até breve...
Andrea*

15 comentários:

Ricardo Calmon disse...

Pura dicotomia,sob ótica literária,não só a bela transcrição by Cecília Meirelles,como também sensibilidade tua ,Andrea amiga!

Viva Vida!

Um Dia Bom!

Festas Boas

Elaine Barnes disse...

É. O texto é tão verdadeiro,tão tristemente verdadeiro. A Ilusão que por um dia seremos recompensados por um ano todo,reconhecidos, lembrados...Quando na verdade somos todos iguais diante do Pai. Somos filhos do Rei e não o reconhecemos, somos irmãos do menino tão simples da manjedoura e também não lembramos...Triste. Que nesse Natal a confraternização seja com quem nos ama e o presente seja Jesus no coração de cada um de nós. Feliz Natal Andrea! bjão

Gilbamar disse...

A vida é e continuará bela aos olhos dos que amam e estão felizes.

Os textos de Cecília, como sempre, apaixonam.

Feliz Natal e poético abraço do amigo Gilbamar.

Wanderley Elian Lima disse...

Nossa que texto lindo, não conhecia, aliás Cecília é fantástica.
Um feliz Natal para você.
Beijos

Márcio Vandré disse...

Por isso não espero benesses.
Eu trabalho e pela lida que efetivo me sinto recompensado.
É isso!
Abraço!

Marcos Campos disse...

Olá Andrea!!
Pior é que é verdade...
Bom Natal pra vc!!
Bj

Fatima disse...

Oi querida,
vim te desejar um Feliz Natal e um ano novo cheio de realizações.
Bjs.

ju rigoni disse...

Bom vir te visitar e poder ler esse texto, sempre atual, da grande Cecília.

Andrea, desejo a você e aos seus um Feliz Natal, cheinho de alegrias.

Bjs e inté!

Bordados e Retalhos disse...

Lindo texto. Feliz natal pra vc também querida. Ano novo cheio de partilha e carinho. Bjs

Giovanna

Panacea disse...

Oi Andréa, que bela garimpagem! Texto que cai providencialmente no compasso do final de ano. Aproveito para lhe desejar também muita felicidade, amor e saúde em 2010. Que "tudo e + um pouco" continue brilhando e nos dando bons motivos para reflexão. Abraços!!

EDER RIBEIRO disse...

Um texto forte e atual, como é todo texto da Cecília. Permita lhe dar um presente embrulhado em papel-carinho e enrolado em fitas-amor: Um Natal cheio de paz junto com os seus e um ano Novo de Luz. Bjos.

Elcio Tuiribepi disse...

Ahhh...Andrea, se conseguissemos canalizar todas as nossas banalidades, nossas carências natalinas em prol de algo mais profundo, não que o carinho pelas pessoas não seja verdadeiro, mas se conseguissemos mobilizar mais pessoas em volta deste pensamento e agir em conjunto, todos, todos, sem tirar nem por...
Sei lá, seria um milagre, uma dádiva, uma coisa sem igual...seria um quilo de feijão o presente mais lindo do mundo? Seria...o arroz também...o pão...o fubá..o leite...enfim...Feliz Natal para todos que estão a seu lado, para todos que estão em seu pemsamento...um abraço na alma...bjo

[ rod ] ® disse...

Feliz festas para você e sua família... um grande bj moça.

Andrea disse...

Queridos Amigos

Muito obrigada! É recíproco todas as palavras aqui escrita, agradeço o carinho.
Obrigada sempre!
Um beijo em cada um, e que este Natal seja Iluminado e repleto de alegrias, que seja uma noite especial e desta noite venham mais e mais noites especiais.

Meu carinho sempre.

Luz!

Bjos

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

oi boneca, arrasou com a Cecília. Mas a gente á mais feliz né? Que bom....fique bem, tenha lindos dias estes dias,rsrsrs, de festa, e estamos aqui né, amiga, pro que der e vier. Manda, manda que eu gosto.