Seguir


Nos acordes da solidão, por vezes adormecem
aquelas palavras que deveriam ser ditas.
Ficam guardadas em algum lugar que
dificilmente acharemos depois.

É como deixar de viver um dia e acordar no
outro sem saber o que foi ontem.

Seguir, com a sensação que falta-nos algo.

Mas seguir é preciso,
mesmo que exista uma fresta aberta no peito
que se torna o leito de tudo o que levamos
desta vida e o que deixamos dela.

Andrea Galvez.

24 comentários:

ju rigoni disse...

É verdade, Andrea. Seguir é preciso. E eu adorei ver que suas palavras estão muito bem acordadas.

Bjs, linda, e inté!

Livinha disse...

Viajei nas tuas palavras, tão profundas... Essas talvez que guardo em mim, e que por vias destas frestas que citas, algumas palavras escapam, sem sentido aos nossos olhos mortos...

Andrea minha querida, chacoalha, sacuda e grite pra vida que está em ti...

Fica bem mocinha..
Bjs

Elcio Tuiribepi disse...

Palavras de Andrea por aqui...isso é bom...te ver escrevendo...geralmnte encontro por aqui palavras de outros poetas e poetisas...
Que legal te ler...
Algumas palavras guardadas depois um certo tempo, ficam complicadas de sair daquela gavetinha silenciosa que existe na alma e no coração...
As vezes a gente acha, a gente acha sim...mas ela não nos dá mais mão e nem nós nos esforçamos para esticar a nossa em direção a dela...rsr
Viajei, mas acho que é assim...
Mas...a vida segue...
Parabéns Andrea por sua escrita...
Tem verseiro novo para selos e outras coisinhas...
Um abraço na alma...escreve mais...dá uma folga para os meninos Quintana, Pessoa...e para as meninas...Meireles, Luft...etc..rsrs
Um abraço na alma..bjo...boa quarta

GM disse...

Andrea

Te achei...rs...rs....
Perdi o meu Blog, o Momentos Compartilhados e agora consegui retornar com o mesmo nome e estou reconstruindo. Estou catando meus amigos virtuais que gosto e que sempre estavam comigo para voltar a seguir e pedir que passem por lá e se tornem novamente seguidores.

Abs

Gilson

Andrea Galvez disse...

Oi Ju

Obrigada, as vezes elas se disponhem a sair, e fico feliz quando conseguem expressar meus momentos.

Bom vc aqui viu!

Bjão!

Andrea Galvez disse...

Livinha

um abraço pra ti minha amiga do coração!


Bjo*

Andrea Galvez disse...

Elcio

Pois é, eu sempre coloquei poemas que gosto tanto, mas isso não muda...rs.Fico feliz que tenha gostado e sua interpretação esta corretíssima...as vezes estas frestas são tão grandes que acabamos perdendo toda essência do que poderia ser dito....mas enquanto houver tempo para resgata-las, Falar é preciso...sempre!:)

Beijo!

Andrea Galvez disse...

Gilson

Já estou lá novamente...espero que esteja td bem contigo viu!:)


Bjo!

[ rod ] ® disse...

O seguir, mesmo sem nossa anuência, continuará existindo. Tolos somos nós apegados ao agora!

Bjs moça... perfeito seu texto... a vida merece ser vivida.


Aproveito e convido-te:



Hoje tem loucura no blog de quinta..r.s.

Hoje tem Confraria!

http://confrariadostrouxas.blogspot.com/2010/03/louco.html

Julio Cesar disse...

Oi Andreia, que lindo poema...e 'quanta carne' nele...

Ja vivi amores...ja vivi paixão...ja vivi solidão.

Sei o que são essas palavras, sei o que são os dias que não acordamos, sei o que são frases que não puderam ser ditas...
e não sei mais que frases são....
porque ficaram no passado esquecidas.

Por isso... como é bom escrever.
...e como é bom poder ler, de quem escreve, articula e transcreve coisas tocantes e brilhantes.

Muito bom ter passado por aqui. Andei (e ainda continuo) na correria da Universidade e quase não sobra muito para o todo(e não para o resto!rs...).

querida amiga, com carinho, grande abraço e que suas emoções alimentem seus neurônicos.
bjinhos
Julio Cesar

Daniel disse...

Sei bem essa sensação de que algo está tão vazio...

Tem dias que não existem, melhor do que existir e nada significar.

Beijos

Blog do Mensageiro disse...

Navegar é preciso, não é? Que passado e futuro, como dobras de tempo, permaneçam encerrados em suas cápsulas para que cada dia seja, mesmo, um novo dia. Um bjo pra voce!

Kika disse...

Devemos seguir sempre, e tentar deixar pra trás o que não tem volta. A vida está aí, ela é curta, e não espera... Bjss

Elcio Tuiribepi disse...

Se falar é preciso sempre, então...rsrs..amanha blogagem coletiva...se puder participar...vamos rir um pouquinho...rrs...ou muito..quem sabe?
Que bom que acertei na interpretaçaõ do poema...
Um abraço na alma boa...bjo

Gilson disse...

Andrea, você disse tudo cara. Esse post caiu diretamente como uma luva para mim. Fantástico, por isso gosto tanto desse cantinho.

Feliz Páscoa !!!!

EDER RIBEIRO disse...

Parar é não permite a possibilidade da transformação. Bjos.

Andrea Galvez disse...

Oi Rod, obrigada...somos o presente!:)

Gostei muito do texto, muito legal este blog da Confraria...:)

Bjo!*

Andrea Galvez disse...

Oi Julio!

Que bom ler teu comentário! imagino a sua correria e agradeço por tua visita.Sei bem o que são estes dias de universitário...rs...tenho saudades.

Mas, seja sempre muito bem vindo amigo!

Bjo e boa sorte em teus trabalhos aí!:)

Andrea Galvez disse...

Oi Daniel

É isso, tem dias que fica tudo tão diferente e estranho que não temos como expressar em palavras, mas muitas vezes, é nestes momentos que elas devem ser ditas.

Bjo!*

Andrea Galvez disse...

Andre...

Cada dia, seja um novo dia sempre...

Bjo*

Andrea Galvez disse...

Kika! vc sumiu!:)

Verdade...vivemos o que o presente nos dá de presente!:)

Bjo!

Andrea Galvez disse...

Oi Élcio, vi que anunciou a blogagem, acabei lendo depois...mas acredito que tenha sido bem legal, quem sabe não participo da próxima..:)

Bjo!

Andrea Galvez disse...

Oi Gilson...pois é, acredito que tenha muito mais à dizer do que apenas isso, que bom que este poema te tocou, assim , diga sempre o que for preciso...mesmo que só você entenda o que!:)

Bjo*

Andrea Galvez disse...

Éder...

Seguir é preciso, mesmo que as duras penas...:)

Bjo!