O que sobrou

O que sobrou de você neste apartamento
Foram as suas roupas,
Que logo vão ser dadas,
Os seus livros,
Alguns dos quais serão meus,
Aqueles que compramos juntos,
As lembranças.
O que sobrou foram seus retratos e,
Quando vi uma foto sua, sorridente e saudável,
Lembrei-me de que não me preparei
Para a sua vinda,
Mas pude me preparar para a sua ida.
Mas quando você se foi,Ah, meu Deus!O que sobrou?
O que sobrou...
Fui eu.


Cássia Janeiro

17 comentários:

Fatima disse...

Saudades de vc!
Bjs.

Wanderley Elian Lima disse...

Mas se sobrou ela, sobrou tudo, basta recomeçar. A fila anda.
Beijos

Elcio Tuiribepi disse...

Oi Andrea, a-partamento...essa separação de silabas, essa separação de corpo e alma deixa lembranças mesmo, deixa marcas, deixa a gente com gente mesmo...

Compartilhando este belo texto...

A vida me ensinaria, também, que não basta entender o olhar do outro. É fundamental ajudar o outro a decifrar, corretamente, o seu próprio olhar, com todos os enigmas, com toda sorte de exclamações, de interjeições, de interrogações e reticências que perpassam a vida de um ser humano.

Armando Nogueira

Um abraço na alma...beijo

Bordados e Retalhos disse...

Acho que ao fim de uma relação deve mesmo ficar uma sensação de que sobrou apenas a gente. Mas no fim, acredito que possamos perceber que ficaram coisas lindas, de um tempo bom, ternura, abraços...guardados lá no fundo do coração e que um dia certamente iremos reconhecê-los ali. Lindo o poema, cheio de simplicidade e singeleza. Bjs

Elaine Barnes disse...

Que lindo! Quem já passou por isso sabe. O quanto é bom quando a dor passa e nos descobrimos para ser feliz de uma nova forma. A gente se redescobre com forrça,coragem e garra. Assim que chega de verdade o auto perdão,tudo flue melhor,desliza e segue seu curso. Amei! Montão de bjs e abraços

Daniel disse...

Lindo o que postou, mas triste como qualquer despedida, né?

Acredito que tb não estamos preparados para as despedidas.
Beijos

Andrea Galvez disse...

Oi Flor...

To em falta contigo né amiga! vou te visitar mais vezes , to sempre lendo, mas ultimamente meus comentários são silenciosos...:)

Bjo querida...sds de vc tb!

Andrea Galvez disse...

Wanderley...

Eu penso assim, é dificil perder alguém muito importante, dolorido, estranho...mas a vida é assim..uma fila de pessoas em busca de algo ou de outra que se complete.Pode ser até que a fila ande mesmo, mas não no mesmo trajeto que tanto buscamos ou tivemos um dia...:)

Bjo*

Andrea Galvez disse...

Elcio

Obrigada, você apenas acrescentou ainda mais o que o peoma quis dizer, são momentos que só quem vive, ou viverá poderá descrever, nem que for em linhas poéticas o que é.Porém cada um é diferente de outro, e sente de formas diferentes...mas é isso...lindo complemento de Armando Nogueira...

Bjo!*

Andrea Galvez disse...

Oi Giovanna

É isso, o fim é começo de um novo que vem à surgir...e como disse, ficam tudo o que de bom pôde-se guardar...

Bjo!*

Andrea Galvez disse...

Elaine.

Você tem o dom de escrever as palavras sorrindo né?...rs

É isso, força e garra sempre.!

Montão de beijos e abraços pra ti tbm querida

Andrea Galvez disse...

Oi Daniel

Nunca estamos preparados para nada na vida Daniel...ela nos surpreende todos os dias...que sejam sempre a maioria com coisas boas né?

Despedidas, elas sempre irão acontecer...


Bjo*

Blog do Mensageiro disse...

Os recomeços como parte de ciclos, assim compomos a vida. Bjs e viva a vida, sempre!

ligado em imagens disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Andrea Galvez disse...

Andre

Recomeçar sempre...viva a vida!:)

Bjo*

Andrea Galvez disse...

Ligado meu bem!

Meu sabiá que sabia assoviá, sumiu, sabia?

=P

Beijocas!*

poeta do inverno. disse...

e o bom é saber que em ti ainda restou um pouco dele.